Conta(dores)


Em 9 de agosto de 2010 por linhaseversos

Opera ego sum
F(lux)o em letras ao ponto
Revisito reticências do agora
Na busca de pontos finais
Providenciais

Papel caneta ação
Arte cinemaortográfica
Meus desalinhos em reversos
Inspiro transpiro
Suspiros

Realizo minhas desmentiras
Reinvento novidades retrógradas
Prolongo o instante
Descongelo-me e deságuo
Em desterro de luz e imagens

Misturo cores com dores
Acarinho a condor do navio castro
Guardo a penumbra no inconsciente
Alivio a gaveta aliada
A ilíada contra a mesmice

Escorrego em silêncio nas minhas vozes
Ressinto minha polifonia no vácuo da realidade
Repouso a dor da criação
Não vivo nem sobrevivo
Ressus(cito) fênix ônix

Cinco versos cinco estrofes cinco elementos:
Terra
Fogo
Água
(Ar)te

(Juliana Izabeli Bulhões – Rio, 20 de março de 2010)

Comentários (1) | |

Um comentário to “Conta(dores)”

  1. rafaela Disse:

    eu gosto do modo como teus escritos crescem do meio para o (gran) final!

    > ‘realizo minhas desmentiras’ > e assim vai…

    =)

    beijobeijo

Deixe seu comentário