P(acto)


Em 16 de abril de 2013 por linhaseversos

imagesTempos sem
Tempos não
Uma alma de sal
Em pele de charque.

Cactos no meu deserto
Improdução
Cacos transparentes
Resignação.

Reflexos
Lâminas
Escamas.

Desidratada
A folha roga o pranto
Curso da matéria
Papel em branco
Sem rugas borrões
À espera
Repousa absorta
Livre e vulnerável.

Mas existe a hora
Deságua
Nasce o verso
Em prece
Da abóbada alveolar
Dá-se à luz
Sem submissão
Banha-se
Recolhe-se
No leito
Na face
Da palma.

A palavra
Vem
Ventre
Vai
Vagão…

Tempos sim
Tempos são.

P(acto)

(Juliana Izabeli Bulhões – Rio, 10 de abril de 2013)

Comentários (0) | |

Deixe seu comentário