(Re)ceita de tentar amor


Em 25 de maio de 2010 por linhaseversos

Ingredientes:
Tempo sem relógios ou ampulhetas
Teu coração uma vida …
Quem sabe duas ou três?
(Isso depende de fé, não de religião)
Vontade em ritmo e força de correnteza
Uma coragem ora vermelha ora branca
A razão intrometida a emoção amiga
Uma aquarela uma pena de pavão
Uma gaveta um travesseiro
Regras conselhos dor solidão
Portas e janelas
Ritmo e música
Sim e não
Matéria e espírito
Luz e alma
Deus

Modo de tentar:
Apaga tudo escreve de novo
Com pena colorida de pavão
Mistura as cores caminha sobre elas
Colore teus passos com pés e mãos
(Tu és o que caminhas e produzes)
Esquece a razão intrometida na gaveta
Desescuta conselhos abandona regras
Lança-te de peito escancarado
Aguarda a queda e o colo
Cura a queda com solidão
Descansa a dor no travesseiro
Abre portas e janelas
Pisa lá fora
Ouve teu coração
Dança no ritmo do segundo
Escolhe teu refrão
Prepara-te para o sim e para o não
Comunica-te com Deus
Procura o encontro da matéria
Reconhece a luz da alma
Celebra a união do espírito
Espera o tempo
Consagraste? Consagrou-se? Consagraram?
Nada de sim? Só de não?
Apaga tudo escreve de novo
Com pena colorida de pavão…

(Juliana Izabeli Bulhões – Rio, 21 de maio de 2010)

Comentários (1) | |

Um comentário to “(Re)ceita de tentar amor”

  1. Eliza - Rainha dos corações Disse:

    Apenas uma palavra resume o que achei do que aqui foi escrito: GENIAL.
    Genial! Genial!
    Fiquei boquiaberta com esse texto, Ju.
    Perfeito.
    Beeeijos xx*

Deixe seu comentário